Grande Prémio Fundação EDP Arte 2010

2010
Jorge Molder

Júri
António Mexia
Jean-François Chougnet
António Franco
Eduardo Lourenço
Jorge Silva Melo

João Pinharanda
António Gomes Pinho

Jorge Molder foi o vencedor da edição de 2010 do Grande Prémio EDP Arte. Uma escolha por unanimidade fundamentada na trajectória consistente e arejada de Jorge Molder e na sua perspectiva aberta ao futuro”, detalhou António Mexia.

O artista foi homenageado com uma exposição antológica no Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado. Rei Capitão Soldado Ladrão foi inaugurada no dia 27 de novembro de 2013. Foram apresentadas cerca 50 imagens fotográficas (selecionadas a partir das suas mais significativas séries desde a década de 1990), algumas projeções fixas e um diaporama, construindo no seu conjunto uma nova narrativa de imagens que nos permite redescobrir a sua obra, abrindo-a sempre a novos caminhos de interpretação.

No dia 5 de dezembro, Jorge Molder inaugurou, no Museu da Eletricidade, a exposição a A Escala de Mohs, expondo os seus trabalhos mais recentes,onde a dimensão trágica do Ser e do seu Duplo, que caracteriza todo o seu trabalho, se revela em toda a sua extensão.

As duas exposições foram comissariadas por João Pinharanda.

Biografia

jorge molder
Fotografia: Miguel Baltazar

Jorge Molder nasceu em Lisboa, em 1947, e estudou Filosofia na Universidade de Lisboa. Destacado nome da fotografia portuguesa contemporânea, com uma vasta obra de grande projeção internacional, desde o final dos anos 70 que o trabalho de Jorge Molder privilegia a imagem a preto e branco, a representação teatral de espaços vazios ou habitados por personagens inseridas em coreografias teatrais.

Em mais de 30 anos de carreira, Jorge Molder conta com mais de cinco dezenas de exposições individuais em Portugal e no estrangeiro (Madrid, Paris, São Paulo, Rio de Janeiro, Nova, Iorque, entre outros países), tendo participado em mais de uma centena de exposições coletivas. O seu trabalho está hoje representado em inúmeras coleções relevantes, como a do Art Institute of Chicago, Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian, Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Maison Européene de la Photographie e Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Exposições

Rei Capitão Soldado Ladrão, inaugurada no Museu do Chiado em novembro de 2013, e A Escala de Mohs, inaugurada em dezembro do mesmo ano no Museu da Eletricidade. Fotografias: Miguel Baltazar