Fundação EDP lança Guia de Arte Pública em Trás-os-Montes

A Fundação EDP lança o Guia Arte Pública em Trás-os-Montes, uma publicação que dá a conhecer as 33 intervenções artísticas realizadas em espaços públicos e postos de transformação da EDP Distribuição nos concelhos de Alfândega da Fé, Miranda do Douro, Mogadouro e Torre de Moncorvo. Mais de uma dezena de artistas participaram nesta iniciativa iniciada em 2015, no âmbito do Programa Arte Pública Fundação EDP.

A par dos convites à população para participar em assembleias comunitárias em diálogo com os artistas, vários agentes foram convidados a trabalhar no terreno, como foram os casos dos alunos do Mestrado em Arte e Design para o Espaço Público na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, alunos a Universidade Sénior de Alfândega da Fé e alunos da EB 2/3 também de Alfândega da Fé.

Em Trás-os-Montes, o programa teve como parceira a Rede Inducar, uma organização para a promoção da educação não formal e da integração social, e contou com o apoio das quatro autarquias envolvidas. 

O Programa Arte Pública Fundação EDP usa a arte como instrumento de inclusão social. Orientado para territórios de baixa densidade populacional, promove o acesso à arte e o envolvimento da população em novas experiências culturais, tendo o apoio da EDP Distribuição. O Programa marca presença em 40 localidades: Trás-os-Montes, Algarve (Barlavento e Sotavento), no Alto Alentejo (Campo Maior), no Ribatejo (Rio Maior) e Médio Tejo (Vila Nova da Barquinha). Foram já realizadas 79 obras, com a participação de 35 artistas como Xana, Alexandre Farto aka Vhils, Luís Silveirinha, Manuel João Vieira, Mariana A Miserável, Menau, Draw, Gonçalo Mar, entre outros. Em 2019, o programa será alargado a Braga e ao Fundação.

O lançamento do Guia de Arte Pública em Trás-os-Montes coincide com a realização de um instameet, realizado em parceria com a revista Gerador. De 18 a 20 de janeiro, 16 instagramers são convidados a descobrir as obras criadas no âmbito do programa Arte Pública em cada localidade mas, também, a viver a cultura local: as paisagens, a gastronomia, a história e os espaços que fazem parte do dia-a-dia da comunidade.

16 Jan 2019