Programa Escolas Solidárias envolve mais de 56 mil alunos e professores em projetos de cidadania

Mais de 900 alunos e professores de escolas de todo o país marcaram presença, hoje, terça-feira, no 9.º Encontro Nacional Escolas Solidárias Fundação EDP, que assinala o fim de um ano letivo dedicado a projetos de intervenção e solidariedade social. Esta edição do programa fica marcada pela crescente mobilização: participaram 514 escolas.

A erradicação da pobreza e da fome, a promoção de sustentabilidade económica e ambiental, a criação de mais educação e melhor saúde e o apoio às comunidades mais vulneráveis foram os temas que mais motivaram à participação dos alunos, ao todo 52.472 alunos agiram em prol da comunidade. 

Sob o mote ‘#és ou não és?’, as escolas inscritas criaram 1.359 equipas solidárias que desenvolveram 2.356 projetos no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Empenhados em resolver questões que afetam as comunidades onde se inserem, juntos – professores e alunos – dedicaram cerca de quatro milhões de horas a este programa que conta com o selo oficial da Secretaria de Estado da Educação e da Direção-Geral da Educação.

O projeto Escolas Solidárias Fundação EDP tem como objetivo a promoção da cidadania nas escolas e incentivar alunos do 2.º ciclo ao ensino secundário a envolverem-se ativamente na resolução das questões sociais que afetam a sua comunidade.

Ser uma Escola Solidária significa proporcionar aos alunos uma educação integral, que tem no exercício da cidadania um instrumento de desenvolvimento pessoal e social. É também uma forma de criar vínculos fortes entre a população escolar, as famílias e a comunidade alargada, mobilizando anualmente dezenas de milhares de alunos e professores de escolas de todo o País.

No 9.º Encontro Nacional Escolas Solidárias Fundação EDP foram anunciadas as 40 escolas destacadas nas categorias Revelação, Distinção e Super Escola das 129 qualificadas.

EDP Escolas Solidárias 2019

29 Maio 2019