Dreamers Never Learn (Tidal)

Vasco Barata (Lisboa, 1974) transforma o espaço expositivo numa instalação em que os visitantes são imersos num ambiente urbano semiabandonado. O espaço está fisicamente “ocupado” e ao mesmo tempo mostra as repercussões de uma cheia e respetivos despojos.

Dreamers Never Learn (Tidal), - com curadoria de Carolina Grau -  pretende refletir sobre o espaço temporariamente livre que é libertado entre o fluxo das marés da economia. Durante a crise financeira, a sociedade foi mergulhada num estado de sobrevivência a todos os níveis. O investimento estrangeiro aproveitou o momento para a especulação imobiliária, inundando o mercado. O ciclo constante de marés revela um espaço livre, criando novas fronteiras que oferecem oportunidades à vaga humana de imigrantes que procuram um recomeço, mas também a investidores capitalistas que procuram novos negócios.

Vasco Barata foi finalista do Prémio Novos Artistas Fundação EDP 2011

02 Out 2019