Naturezas Visuais: A Política e a Cultura do Ambientalismo nos Séculos XX e XXI

Naturezas Visuais
30 MAR - 05 SET 2022
maat

Resultado de mais de dois anos de investigação crítica em ciência climática, práticas criativas e ecopolítica, Naturezas Visuais é a continuação da jornada iniciada em 2021 com a instalação Earth Bits – Sentir o Planeta, baseada em dados científicos, e o programa público Clima: Emergência > Emergente, com curadoria do primeiro Coletivo Climático do maat. 

Este projeto de investigação estuda as práticas de ação coletiva a nível político, social e cultural que, nos últimos cerca de cem anos, têm vindo a demonstrar de que modo a transformadora compreensão humana da “natureza” – filosófica, biológica e económica – está na base dos modos de organização, subsistência e governação das nossas comunidades enquanto modelo planetário em expansão, tanto no plano conceptual como no prático. O mapeamento que daí resulta faz uma leitura cruzada de quatro temas de estudo – produção artística e eventos culturais, inovações tecnológicas e descobertas científicas, movimentos sociais e reflexões sobre governação global – que obedece a uma ordem cronológica aproximada, desde a década de 1950 até aos nossos dias. Ao desafio da natureza enciclopédica do projeto a apresentação responde com a organização em três grandes temas encadeados – Ecologia Profunda 1950–1980, Complexo Planetário 1990–2010 e Multinaturalismo 2010–2020 –, cada um dos quais convergindo para o alargamento do significado de “ecologia” e “ambientalismo”, conceitos que a partir da década de 1960 se tornaram centrais no debate público internacional em virtude da comprovada indissociabilidade dos fenómenos do crescimento global, da escassez de recursos naturais e da poluição.

Apropriando-se deliberadamente de uma expressão cunhada pelo arquiteto e artista Paulo Tavares (membro do Coletivo Climático do maat 2021), “naturezas visuais” aponta para uma política e uma estética pós-antropocêntricas e não-hegemónicas do ambientalismo destinadas a emergir como paradigma democrático e igualitário de convivência com a natureza que transcende cosmovisões centradas no ser humano e recusa a violência ecológica do extrativismo.

Encomendado à arquiteta brasileira Carla Juaçaba, o desenho do espaço em que esta investigação é apresentada inspira-se acertadamente em A Conferência dos Pássaros, uma parábola sufi escrita no século XII pelo poeta persa Farid al-Din Attar que constitui uma alegoria moral sobre a soberania e a busca da verdade através do sacrifício partilhado. Afirma Juaçaba: “O projeto da exposição é uma ‘sala de conferências’, na qual somos pássaros que discutem uma nova ordem entre natureza e homem e entre ciência e democracia, ao mesmo tempo que redefinimos a ideia de progresso. Trata-se de um espaço político, já que ali se discute a convivência e como ‘encontrar a maneira certa de compormos um mundo comum, o tipo de mundo que os Gregos designavam por cosmos’ (Bruno Latour).”

Os conteúdos desta investigação são apresentados num interface digital personalizada que o estúdio dotdotdot desenhou e desenvolveu, em contínua colaboração com o maat, a partir da instalação Earth Bits de 2021. Os visitantes podem navegar pelos conteúdos multimédia – imagens, vídeos, textos e registos áudio – seguindo os três principais capítulos temáticos distribuídos cronologicamente pelos 42 lugares da assembleia desenhada por Juaçaba, cada qual dotado de um ecrã tátil que permite navegar verticalmente para comparar informação entre os quatro temas de estudo ou horizontalmente para uma deslocação no tempo.

A exposição inclui uma Biblioteca do Clima, que consiste numa zona de leitura integrada na instalação onde uma vasta lista de referência de livros e publicações pertinentes sobre os diversos assuntos abordados é disponibilizada em catálogo digital e, parcialmente, em formato físico.

O corpo principal da instalação Earth Bits (2021) volta a ser exposto, apresentando novamente a consola interativa CO2 Mixer e uma nova versão do vídeo Planet Calls.

Uma série de artigos e contribuições resultantes deste trabalho de investigação poderá ser consultada no maat ext. ao longo da exposição.

Os projetos Naturezas Visuais e Earth Bits são viabilizados por uma parceria continuada com a Novo Verde e a ERP Portugal – Entidade Gestora de Resíduos.


 

 

Fotos: Pedro Pina

14 Abr 2022