Cultura contemporânea

O apoio ativo à Cultura assume-se como uma das missões fundamentais da Fundação EDP, entidade que detém e gere dois emblemáticos museus da cidade de Lisboa: a Central e o MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Queremos contribuir para um país melhor preparado e apto a responder aos desafios do século XXI e para uma sociedade mais criativa, culta e cosmopolita. Por isso, fazemos da excelência cultural e da contemporaneidade artística marcas da nossa identidade e afirmação institucionais.

Estruturando-se em duas em duas grandes áreas de intervenção - produção própria e mecenato - , que se potenciam e interagem, esta ação privilegia projetos originais, a valorização estratégica das parcerias, tanto com instituições nacionais como internacionais, a consolidação das políticas de revelação de artistas emergentes e a consolidação de artistas historicamente revelantes, a qualificação dos recursos e a descentralização cultural e artística.

Da criação contemporânea ao património e à memória histórica, das artes visuais às performativas, da literatura ao pensamento crítico, da interdisciplinaridade das artes à sua relação com a ciência, tecnologia e ambiente, desenvolvemos uma ampla atividade de produção própria e de cooperação mecenática. A Fundação EDP é hoje um dos principais mecenas das artes em Portugal.

As exposições que produzimos e apoiamos, os novos talentos que revelamos e ajudamos a internacionalizar, os prestigiados prémios que atribuímos - o Prémio Novos Artistas Fundação EDP e o Grande Prémio Fundação EDP Arte - , as publicações que promovemos e as parcerias que estabelecemos constituem um valioso património. Desde 2004, a Fundação EDP já produziu e apoiou mais de 200 exposições e quase uma centena de projetos nas áreas das artes plásticas, dança, música, arquitetura, educação artística, edição e documentários.

Inovação Social

A inclusão e a melhoria da qualidade de vida de pessoas e comunidades em situação vulnerável são o pilar da atuação da Fundação EDP na área social. 

A missão da Fundação EDP passa por levar para a Economia Solidária a noção e a prática do empreendedorismo social e da sustentabilidade, fundamentais para o desenvolvimento e para a sobrevivência das organizações sociais.

Apostando no investimento social sobre a prática do subsídio, a Fundação EDP estrutura a sua participação em três pilares: Programa EDP Solidária, projetos próprios - como o programas Escolas Solidárias, Orquestra Energia e Arte Pública - e apoio a negócios sociais. 

Ciência e Energia

Privilegiando a promoção cultural científica, a Fundação EDP dinamiza e apoia projetos de investigação e de divulgação do conhecimento, dando especial atenção à comunidade escolar. No centro desta estratégia encontra-se a emblemática Central, renovada em 2016, que tem como objetivo preservar a história da eletricidade e da produção energética.

Enquanto entidade vocacionada para a proteção, investigação e valorização do património energético nacional, na Fundação EDP confluem a memória tecnológica e as energias do futuro. Um potencial de conhecimento disponibilizado ao público através do maior acervo nacional sobre a história da eletricidade em Portugal e um conjunto de propostas expositivas que percorrem a história e a evolução da eletricidade até às energias renováveis.